Fala-se de mãos e pés calejados, mas pouco se fala de corações calejados. Portanto... quanta gente há por aí vivendo como se não fosse possível ter sentimentos porque um dia foram magoadas. As pessoas mais duronas, que parecem indiferentes ao amor

Posts

Segunda-feira, 01 de Março de 2010
Que erros está a cometer? (2)

Não tenha medo de perguntar a si mesmo: «O que é que me está a falhar? O que é que ainda não sei?» Algumas pessoas apenas esperam problemas, são pessimistas, então não procuram nada de bom. Mas outros têm uma tendência para partir do princípio de que tudo é bom. Ambas as formas de pensar podem magoá-lo. Elisabeth Elliot, autora do livro Ali That Was Ever Ours (Tudo o que já foi nosso) lembra: «Todas as generalizações são falsas, incluindo esta, no entanto, continuamos a generalizar. Criamos imagens, imagens que gravamos e que não podem ser mudadas. Dispensamos ou aceitamos pessoas, produtos, programas e propaganda de acordo com os rótulos que trazem por baixo. Sabemos pouco sobre alguma coisa, e tratamos o assunto como se soubéssemos tudo». Aprenda a ter mais discernimento! É fácil tomar decisões baseadas naquilo que sabe, mas há sempre coisas que não sabe. É fácil escolher uma direcção baseada naquilo que vê, mas e o que não vê? Apenas aprendemos quando estamos dispostos a perguntar «O que é que me está a falhar?». Essa questão leva-o, a si e aos que estão à sua volta, a parar e pensar. É fácil ver o que é óbvio, mas colocar questões difíceis traz à superfície coisas que não são óbvias. Não fazer perguntas é partir do princípio de que um projecto é potencialmente perfeito e que se for gerido com cuidado não haverá problemas. Aprende-se na vida, muitas vezes com sofrimento, que isto simplesmente não corresponde à realidade. Duas coisas podem atrapalhar o seu caminho:
a) Analisar uma situação em demasia ao ponto de ficar paralisado e com medo de agir;
b) Não analisar o suficiente uma situação e avançar antes de ter o conhecimento e a sabedoria necessários para implementar o que pretende.

 


publicado por Miguel Sousa às 00:13

publicado por RosaOliveira às 17:11

Ambas estão erradas!

Os que não procuram nada de bom,

Os que clamam que tudo é bom.

Dois extremos.

E os extremos estão sempre errados!

Procurem o Meio e talvez aí, se encontre a verdade.

Gostei! Beijos, Mª. Luísa
M.Luísa Adães a 3 de Março de 2010 às 09:47

Olá M. Luísa!
Como está?
Tem razão... o equilíbrio é essêncial!
A vida vai-se encarregando do nos mostrar isso todos os dias.
Xi
RosaOliveira a 3 de Março de 2010 às 17:32